Mitos ou verdade sobre cachorros

Um ano humano equivale a sete anos caninos

Falso.

É verdade que os cães envelhecem mais rapidamente que os humanos, mas é impossível calcular a equivalência em anos de cada um de forma exata. Este tipo de previsão é orientativa e muito subjetiva.

Tudo depende do desenvolvimento do cão, nem todos têm a mesma esperança de vida, os cães pequenos podem viver mais que os grandes. O que sim é certo é que, tendo em conta a esperança média de vida dos cães, a partir dos 2 anos consideram-se adultos e a partir dos 9, idosos.

Veja outros mitos dos animais de estimação:

Os cachorros só enxergam a preto e branco

Falso. Na verdade, os cachorros veem o mundo a cores. É verdade que não o percebem da mesma forma que nós, mas podem distinguir cores como o azul e o amarelo e têm mais dificuldades com as cores quentes, como o vermelho e o rosa. Os cachorros são capazes de discriminar entre diversas cores e isso está comprovado cientificamente.

 Cães enxergam somente preto e branco.

Mito => Eles são daltônicos, o que  faz com que eles não enxerguem todas as cores como nós, humanos. Tons como verde, amarelo e laranja podem ficar mais opacos para eles, puxando para o marrom.

Cada ano humano equivale a exatamente sete anos do animal.

Mito => Essa contagem não é exata. Na verdade, quando os cães são filhotes, o desenvolvimento deles é muito mais rápido do que o de uma criança.

Então, o equivalente em anos pode ser até bem mais que sete. Depois de completa a fase de crescimento, eles estabilizam. Mas, de qualquer forma, o envelhecimento do corpo dos cachorros é mais rápido do que o do ser humano.

Algumas raças de cães precisam ter o rabo cortado e outras não.

Mito => Nenhuma raça de cachorro precisa ter o rabo cortado. A cirurgia para a remoção é totalmente estética e, desde 2013, é proibida pelo Conselho Federal de Medicina Veterinária (CFMV).

Saber destes mitos sobre os animais de estimação facilita muito a convivência e pode ajudar na hora de trazer um novo amigo para a casa ou até melhorar a relação de quem já tem um peludo companheiro.